terça-feira, outubro 12, 2004

Arrábida

Muito se tem falado recentemente sobre a polémica acerca da casa de Luis Nobre Guedes na Aldeia da Piedade, no Parque Natural da Arrábida e da sua decisão, enquanto Ministro do Ambiente, de demolir as "outras" construções que estivessem ilegais no mesmo Parque Natural da Arrábida.
Acerca deste assunto gostaria deixar aqui algumas reflexões: Realmente a Arrábida tem sofrido um assalto semelhante à invasão do Iraque....correndo risco de ficar semelhante a uma qualquer Bagdad...
Tem existido uma enorme apetência por todas as zona protegidas....e acho que a melhor maneira de proteger alguma zona do nosso país é retirar-lhe o estatuto de "protegida"...assim deixa de ter interesse para promotores, especuladores, residentes de fim de semana, politicos, emergentes, etc....mudam-se os tempos mudam-se os destinos...acabada que está a zona de Sintra-Cascais (lembro-me de algumas coisas em Cascais na época de Cavaco e que foram terminadas por Judas e os licenciamentos foguete de casas de dirigentes Socialistas na Praia Grande e Rodízio na época Edite Estrela, entre outras)...avança-se para a Arrábida, com vista já no Parque Natural da Costa Alentejana.
O que é curioso é que em qualquer país do mundo civilizado, quando uma paisagem é protegida, logo se criam mecanismos de defesa, existem pessoas que defendem esses locais (geralmente residentes...ou pessoas com bastante dinheiro, que pela preservação do local, compram à volta e estabelecem regras rígidas de preservação)...em Portugal é o oposto, ou seja, enquanto não loteiam, vendem e constróem, enquanto não tem tudo polvilhado de casas, condomínios e campos de golfe não param...Veja-se a Quinta da Marinha e o Abano, veja-se certas zonas do Algarve, veja-se a zona da Comporta e do barlavento Algarvio, Tróia...ou mesmo a Arrábida, incluindo a ameaçada Mata de Sesimbra, Meco ou Quinta do Perú...só para aquela zona estão previstas camas para cerca de 60.000 pessoas!
A atitude de Nobre Guedes é apenas o que talvez 90 % das pessoas fazem em relação ás áreas, ruínas, apoios agrícolas, etc...existem milhares de metros quadrados em Portugal que são antigas "ruínas" que "engordaram" com o aumento do estado de ruína, apoios agrícolas com camas, televisões, ar condicionado e afins em pseudo explorações agrícolas que nem as flores decorativas lá se conseguem criar, etc etc...muitas vezes ao abrigo de PDM's desajustados e com o beneplácito de funcionários camarários que aprovam cegamente tudo o que lhe pôem à frente...desde que "cumpra" a lei (PDM, REN, RAN, POOC, PROTALI...etc etc)!! E leis que prevem percentagens de ampliação relativas a às áreas dos lotes de terreno que permitem verdadeiras aberrações!
Um outro aspecto desagradável e reprovável é o facto de de Nobre Guedes ter feito o levantamento, projecto e contrução com a mesma pessoa (de acordo com o Expresso) que é um desenhador da C M de Setúbal...como isto é possível...alguém que desenha e constrói?...que é técnico da Câmara que aprova?...Um Parque Natural que aprova projectos sem serem projectados por arquitectos?...Alguém como Nobre Guedes, que se supôe uma pessoa culta, esclarecida, informada (agora responsável pelo Ambiente) que recorre a expedientes e contrata um desenhador(?)...ainda mais vindo de alguèm que, sendo Ministro do Ambiente, deveria dar o exemplo sobre quem deve fazer e assinar projectos...para que servem os arquitectos então??...Esperemos que quando o Ministério do Ambiente necessitar de algum projecto de arquitectura não peça ao contínuo ou ao desenhador lá do Ministério, que até tem algum jeito e costuma fazer uns favores aos amigos e desenha umas casitas à "portuguesa" lá para os Brejos ou para ou para Picheleiros....
Sem querer ser negativo...resta a confiança que as consciências vão despertando e que ainda vamos a tempo de salvar alguns restos do noso País..."desprotegendo" certas zonas!!

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial